Confiança do comércio tem melhor resultado desde o início da pandemia

Confiança do comércio tem melhor resultado desde o início da pandemia

Apresentando a segunda alta consecutiva, de 1,4%, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), apurado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), alcançou o patamar de 121,1 pontos em janeiro, o maior desde março de 2020 (128,4 pontos) e melhor do que o observado no mesmo mês do ano passado (105,8 pontos).

Na comparação anual, o crescimento foi de 14,5%. Todos os subíndices principais avaliados pela pesquisa também apresentaram alta, com destaque para Intenções de Investimento, que obteve variação mensal positiva de 1,8%, alcançando 110,6 pontos, o maior nível desde janeiro de 2014 (114,6 pontos).

Na comparação com o mesmo mês em 2021, o indicador contou com aumento de 16,5%. Já a maior pontuação ficou por conta do item Expectativas do Empresário do Comércio, que, com avanço de 1,5% em relação a dezembro do ano anterior, chegou a 152,7 pontos, registrando também uma alta de 7,5% em relação a janeiro do ano passado.

O indicador Condições Atuais do Empresário do Comércio retornou à zona de satisfação ao alcançar 100,1 pontos, o maior nível desde abril de 2020 (105,1 pontos), e apresentou o primeiro crescimento mensal, de 0,6%, após quatro quedas consecutivas.

Além disso, registrou o maior aumento na comparação anual entre os subíndices principais: 24,4%.

Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, os resultados da pesquisa refletem o avanço da vacinação e a consequente relativa volta à normalidade. "Mesmo com a propagação da variante Ômicron, a vacina tem garantido um impacto menor da covid-19 na população, com sintomas mais leves e redução da taxa de mortalidade. Esse sentimento de segurança vem contribuindo para que os empresários já enxerguem uma pequena melhora nas condições econômicas, no curto prazo", avalia.

Expectativa de novas contratações

A pesquisa mostrou ainda que os empresários estão mais otimistas quanto à geração de empregos. Entre os itens que analisam as intenções de investimento dos comerciantes, a maior satisfação foi em relação à Contratação de Funcionários (137,2 pontos), indicador com também maior crescimento mensal dentre os dessa categoria (+5,0%).

A maior parte dos empresários (68,9%) demonstrou intenção de aumentar sua contratação, sinalizando que a recuperação do mercado de trabalho deve continuar. "É importante observar em qual categoria a empresa está inserida, pois cada uma é impactada de forma diferente pelos movimentos econômicos. Mas é possível observar que a maior parte dos empresários está mais confiante com relação à economia e especificamente sobre os desdobramentos em seu próprio negócio", aponta a economista da CNC responsável pelo estudo, Catarina Carneiro da Silva.

A percepção de melhora na economia aparece tanto nas condições atuais do País quanto nas expectativas. Com relação ao momento atual, o maior incremento desse subitem foi na percepção da economia, com crescimento de 2,3%, após quatro meses de queda.

Para 54,7% das empresas, a expectativa é que a economia melhore ligeiramente no futuro.  


Mais notícias


Vídeos em destaque!

Nossos Patrocinadores