Pesquisa sinaliza nova queda na confiança do mercado

O mercado de seguros encerrou o primeiro trimestre do ano menos confiante. É o que indica pesquisa realizada pela Fenacor, no final do mês passado, para medir o grau de confiança que prevalece no setor. Foram ouvidos 100 executivos, entre donos de grandes corretoras de seguros, seguradores e resseguradores.

De acordo com o levantamento, entre fevereiro e março, o ICSS – Índice de Confiança do Setor de Seguros, caiu de 116 para 112,3, menor índice apurado desde novembro de 2020. Contudo, como o índice permaneceu acima de 100, a expectativa atual ainda é de relativa confiança nos rumos do mercado.

A queda mais expressiva ocorreu no ICGC (Índice de Confiança das Grandes Corretoras), que despencou de 116,7 para 102,6 entre os dois períodos comparados.

Já o ICES (Índice de Confiança e Expectativas das Seguradoras) teve ligueiro crescimento, de 111,9 para 112.

O avanço mais expressivo foi registrado no ICER (Índice de Confiança e Expectativas das Resseguradoras), que passou de 119,4 para 123,3.

Essas são as três variáveis que formam o ICSS.

Sobre o ICSS

O ICSS é apurado através de estudo realizado pela Rating de Seguros Consultoria, sob a responsabilidade do consultor Francisco Galiza, na última semana de cada mês, através de perguntas simples, de múltipla escolha, através das quais as empresas corretoras de seguros, seguradoras e resseguradoras projetam o que esperam que aconteça nos próximos seis meses, com relação a algumas variáveis relevantes do setor.

Trata-se de um indicador mensal que mede a confiança do setor de seguros, com base em três variáveis: ICES (Índice de Confiança e Expectativas das Seguradoras), ICER (Índice de Confiança e Expectativas das Resseguradoras) e ICGC (Índice de Confiança das Grandes Corretoras).

No seu cálculo, o indicador leva em conta três aspectos: economia brasileira, faturamento e rentabilidade de cada um dos setores citados

A partir dessas informações, e após cálculos estatísticos, é definido esse índice, cujo valor varia de 0 a 200. O número 100, que divide o índice ao meio, sinaliza que a expectativa atual é que a situação permaneça a mesma no futuro. Por outro lado, quanto maior esse valor, mais otimista está o segmento; e vice-versa.

O ICSS é divulgado na primeira semana do mês posterior ao da pesquisa.

A metodologia segue um padrão similar ao existente em Indicadores de Confiança de outros setores econômicos, como, por exemplo, o Índice de Confiança do Comércio (ICEC) e o Índice de Confiança da Indústria (ICI).