11/01/2019 - CNC     Twitter  Facebook  Google+  LinkedIn

Com a promessa de reduzir encargos trabalhistas incidentes sobre a folha de salários, o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou que o governo pode compensar a medida com a cobrança sobre faturamento de empresas ou com tributação indireta adicional.

O secretário criticou a desoneração promovida durante o governo Dilma Rousseff, que atendeu a setores específicos.

Parte desses benefícios foi revertida durante a gestão de Michel Temer. Hoje, a desoneração da folha já consiste na substituição da contribuição previdenciária patronal pela incidência de tributo sobre faturamento. A proposta do novo governo prevê uma desoneração ampla e, além da cobrança sobre faturamento, está entre as opções a compensação com um tributo indireto --que incide sobre produtos, e não sobre a renda.

 








23/01/2019 - G1
Mercado de ações perdeu R$ 11,5 bilhões em capital externo
 mais...
23/01/2019 - G1
Após 3 anos de demissões, Brasil cria 529 mil empregos formais em 2018
 mais...
23/01/2019 - CNC
Número de redes de franquias voltou a crescer
 mais...
23/01/2019 - CNC
Jovens dos países em desenvolvimento enfrentam ambiente perverso
 mais...
Página Inicial  .:.   Informações de Publicidade  .:.   Patrocinadores  .:.   Entre em Contato  .:.   Twitter  Facebook  Google+  LinkedIn
© 2004 - 2019 - AMMS - Associação das Mulheres do Mercado de Seguros
Tecnologia EBTI